O skate feminino no Goiânia Crew Attack

16 de maio de 2018 ● POR Tribo Skate

Mais um evento da loja Ambiente Skate, na capital do Góias, foi concretizado no último fim de semana do dia das Mães.

Texto e fotos: Graci Santiago

O Goiânia Crew Attack esse ano foi na pista coberta da Base Ambiente e fez história em sua oitava edição, separando a categoria feminino e com premiação igual dos caras.

Daniel Atássio, responsável pelo evento, sempre surpreende com suas inovações e por isso fiz algumas perguntas pra ele!

O que motivou você a fazer a categoria feminino separada e com premiação igual dos meninos?
Dan: Estamos numa luta por uma cidade melhor. Essa é a nossa grande batalha. Usamos algumas ferramentas nessa construção e nossos eventos talvez são a mais poderosa delas.

Num momento tão difícil, um ano tão importante de eleições, de mudanças necessárias, achamos que essa attitude de inserir o feminine pra igual era muito aproriada.

A Ambiente está sempre reinventando. Queremos ir bem além do que se espera de uma “loja”e igualdade entre gêneros é uma briga que queremos comprar.

O que espera para próxima edição do crew attack depois desse ponta pé incial, já que é a primeira vez na história do skate feminino brasileiro, em um campeonato amador, elas ganharem premiação em dinheiro?
Dan: Esperamos que as meninas percam a timidez e compareçam em peso. Vejo que elas ainda enfrentam preconceito e desrespeito vindos dos próprios skatistas homens.

Isso é triste. Mas as meninas têm que erguer a cabeça e mostrar empoderamento em cima do skate. Espero que o GCA ajude.

Você acha que esse evento abrirá portas para mais campeonatos desse porte para a categoria feminino amador?
Dan: Não sei! O machismo é cultural. Não estamos aqui para ensinar ninguém a fazer nada. Só queremos que vejam que é possível e pode ser bem legal. Tomara que influencie alguns produtores de eventos.

O skate feminino no Goiânia Crew Attack 2018

 

De um tempo pra cá a categoria feminino vem passando por diversas fases, boas e ruins, ainda! Em plena evolução e tanta modernidade, facilidade e tanta luta. Mas ainda assim, tem quem lute para o skate das minas nao morrer.

Muitas questões abordadas e ainda não definidas e nada respeitadas. Muitas marcas com dez caras e nenhuma mina, ou apenas uma, entre outras milhoes de questões.

O skate feminino no Goiânia Crew Attack 2018

Valores ainda não respeitados entre muitas outras coisas, que causam muita desistência ou comodismo de algumas garotas no skate, talvez por cansarem de ir atrás e “nada ser feito”. E outras, lutam para não deixar isso tomar conta.

Muito ainda está por vir e esse evento, de alguma forma, mostrou isso! Falta de apoio para quem quer viver de skate, competir, filmar, desanima qualquer skatista, mas que isso nao impeça de sempre seguir com o espírito de diversão.

O skate feminino no Goiânia Crew Attack 2018

Apesar de ter tido duas crew femininas, podemos ver isso por um lado bem positivo. Eram meninas que tinham manobras ótimas, unidas por um único objetivo, andar de skate.

A união entre as garotas é muito importante para elas mesmo. Que esse evento sirva de certa forma para mais união e luta por uma causa que tem que ser vencida.

Goiânia Crew Attack 2018

O GCA está de parabéns por essa iniciativa e que sirva muito de base para outros eventos que inclui a categoria mais Linda dos eventos de skate.

Esse campeonato é a definição concreta do que se pode esperar de montar uma crew com amigos(as) de forma totalmente diferente do padrão, para um rolê divertido e desencanado e os competidores demonstraram isso…

Só participando ou assistindo pra sentir a vibe do Crew Attack. Os profissionais, Lehi Leite, Lucas Xaparral, Biano Bianchin, Fabio Gheraldin, Pedro Iti e Ragueb Rogério fizeram uma demo muito style, finalizando o evento com alto nível de manobras e inovaçoes na pista mais linda do Brasil.

Resultados

Masculino
1º Cream
2º Crews Credo
3º Thug Crew

Feminino
1º Attack Girls
2º Atrevidas