Urussanga Skate Park: Uma edição especial

05 de junho de 2019 ● POR Divulgação

Nos dias 25 e 26 de maio, skatistas de diversas partes do Brasil e do mundo, mídia nacional, artistas, fotógrafos e videomakers, além de um público de mais de duas mil pessoas se reuniram no Bowl de Urussanga-SC, para aquele que é hoje considerado o mais tradicional campeonato de bowl skate amador do Brasil.

Homologado pela Federação Catarinense de Skate (FCSKT), o evento valeu como terceira etapa do circuito de pistas (bowl, park e banks) de Santa Catarina, competição classificatória para o Brasileiro de Park Amador 2019.

Coincidindo com as comemorações dos 30 anos da construção do bowl, a vigésima-quinta edição do Urussanga Skate Park foi especial, tanto simbolicamente quanto por seus números.

Nomes como Isadora Pacheco (campeã no feminino) e Luizinho Francisco – integrantes da seleção brasileira de skate – estiveram presentes na competição e além deles, lendas como Jorge Ladas, Biano Bianchin e Ragueb Rogério, os profissionais Micael dos Passos e Jonny Gasparoto e os estrangeiros Martín Toyos (Argentina) e Julen Arizmendi (País Basco) também se juntaram à massa de espectadores, simpatizantes e entusiastas.

A Associação do Bowl de Urussanga (Abou) e a Rock City, enquanto partes deste universo, estão comprometidas em fomentar esta cultura e o Urussanga Skate Park faz seus esforços convergirem. O resultado é o que segue.

Depois da chuva

A chuva torrencial que antecedeu este fim de semana não assustou as duas mil e quinhentas pessoas que compareceram no bowl de Urussanga entre sábado e domingo. Assim que o concreto secou, os skatistas começaram a aparecer para se aquecer e sentir o rumo do longo fim de semana de skate.

Amadores, lendas e profissionais de várias partes do Brasil e do exterior droparam o bowl em comemoração ao seu aniversário de 30 anos, na XXV Edição do evento mais tradicional do skate bowl amador brasileiro.

Alguns apareceram cedo para definir suas linhas, para ter uma ideia do concreto e do ambiente ou simplesmente porque, havendo um bowl livre para andar, ele será usado.

Se o bowl é sempre o mesmo, isso não significa que a cada ano não nos surpreendamos. Quando se anda no nível que essa garotada está andando, é sempre diferente. A cada ano, cada vez mais um pequeno detalhe é o suficiente para marcar a diferença entre o primeiro lugar e todos os demais.

Reconhecimento

O skate feminino conquistou o reconhecimento tão esperado e, a julgar pelas voltas de Isadora Pacheco (Floripa), Mariana Menezes (Porto Alegre) e Erica Lequizamon (Garopaba) isso é inegável.

As categorias infantil e mirim são sempre motivos de inspiração, não só porque as crianças são a garantia de que nossa cultura e estilo de vida vão permanecer, mas também porque elas nos lembram quem somos essencialmente. Sua força de vontade e entusiasmo nos mostram que o skate é puro e nos remete ao nosso começo.

Destaque para Artour Thurment (7, Balneário Camboriú), Candido Cardoso (6, Balneário Cambroriú), e Pedro Pulls (6, Criciúma) na categoria infantil.

Na categoria mirim destacamos Diego Takahashi (11, Floripa), Luiz Manica (8, Floripa) e Vicente Rigobello (10, Floripa).

Ian Rodrigues (Floripa), Henrique Oliveira (Floripa) e Gustavo Prates (Floripa) foram alguns dos iniciantes que deram um show de habilidade, ousadia e resolução.

Um ano e meio antes de o skate oficialmente ser lançado nos Jogos Olímpicos de Tóquio, essa é mais uma prova do novo status sem precedentes do skate no Brasil.

Mostra também como este é mais do que nunca, além de um momento muito favorável para investir no skate brasileiro, também é essencial fazê-lo.

Vinícius Kothe (Floripa), Kalani Konig (Floripa) e Gustavo Picaski (Imbituba) estavam entre os famintos skatistas amadores que no domingo deram a uma última surra no coping para fechar o fim de semana. Parabéns a todos os competidores que sem dúvida terão seus nomes cravados na iminente história do skate nacional, que teve mais uma página escrita neste evento.

As lendas Jorge Ladas, Biano Bianchin, Ragueb Rogério estavam presentes, pretigiando esse momento extraordinário.

Destaque também os profissionais Micael dos Passos, Jonny Gasparoto e para Luiz Francisco, nosso garoto prodígio de Lorena-SP, que voou direto de Shanghai para Urussanga, logo após ter conquistado o terceiro lugar na primeira etapa do Vans Park Series 2019.

Da Argentina e Espanha (mais precisamente do País Basco), vieram respectivamente Martín Toyos e Julen Arizmendi, dois true skaters que além de extremamente habilidosos, são pessoas incríveis que comprovaram que a linguagem do skate transcende o idioma ou nacionalidade. A identificação foi imediata.

As bandas Skatula, O Mundo Analógico, Rivokill, Barba Rala, Republic e Caravana assumiram o controle musical, e nos riffs de guitarra, nos ritmos da bateria e na velocidade do contra-baixo provando a inquestionável afinidade entre o skate e o punk rock.

Bruno Alvares e Herok são destemidos em levar seus processos de criação para o público. O dinamismo e a interatividade do ambiente os inspiram e motivam a fazer arte diante das pessoas.

Com intensidade e imediatismo, a excitação e a energia do Urussanga Skate Park foram reproduzidas com sensibilidade em dois painéis, entre os atletas, público, mídias e atos musicais favoritos.

Foi lindo!

Fazer parte dessa história nos enche de orgulho e satisfação, mas acima de tudo de energia. Energia para andar de skate, para trabalhar por ele e para garantir que sua essência seja sempre preservada.

Veja mais fotos abaixo!