What's Up

Firs e ISF se fundirão pelo skate nas olimpíadas


As entidades máximas do skate e esportes com patins no mundo, a Federação Internacional de Skate (ISF) e a Federação Internacional de Esportes de Rodas (Firs) se reunirão em setembro num congresso na China, e a pauta principal é a fusão das duas federações para a criação da World Skate.

O objetivo é que a World Skate seja uma plataforma moderna para o gerenciamento de todas modalidades do skate e patins, permitindo autonomia para governança, desenvolvimento e gerenciamento do skate.

Estaremos em melhor posição para não só colocar um show incrível em Tóquio, mas também proteger a história e aproveitar a oportunidade olímpica para maximizar adequadamente o desenvolvimento do skate ao redor do globo“, diz Gary Ream, presidente da ISF.

Com essa fusão, espera-se que agora o Comitê Olímpico do Brasil enfim reconheça a Confederação Brasileira de Skate como órgão responsável pela gestão do skate no Brasil e no programa olímpico.

Em 2016 o COB não aceitou o pedido de filiação da CBSk alegando que ela não era filiada a Firs e deu para a Confederação Brasileira de Hóquei e Patins os poderes para gerir o skate brasileiro.

Ed Scander, vice-presidente da CBSk, está otimista com a fusão das entidades e disse que após a oficialização, muitas coisas mudarão positivamente para o skate brasileiro, com reconhecimento do COB e COI.

Kit McConnell, diretor de esportes do Comitê Olímpico Internacional, comemorou a decisão da criação da World Skate. “Através do novo nome World Skate, FIRS e ISF estão demonstrando ativamente uma visão compartilhada que não só celebra as comunidades de skate existentes em todo o mundo, mas também irá beneficiar o skate e skatistas para os Jogos Olímpicos de Tóquio e além”.

O Brasil é um dos países que mais estavam sofrendo com problemas burocráticos e o surgimento de entidades oportunistas, como a CBHP, que queria dirigir o skate no Brasil sem conhecimento. Uma das preocupações da federação internacional de patins é que entre as variações de patinações, estivessem administradas pelas pessoas certas.

Durante décadas nossa federação tem sido uma organização multiesportiva, garantindo sempre a autonomia de suas modalidades e preservando ao mesmo tempo sua essência e integridade. Sabíamos que, para assegurar a representação adequada do skate em Tóquio, era necessário envolver as associações que representam toda a cultura do skate, incluindo atletas de topo, organizadores de eventos, organizações comunitárias, ONGs e assessores do setor. Somente dessa forma, a identidade única da comunidade de skate pode ser preservada e celebrada”, fala o presidente da Firs, Sabatino Aracu.

Veja também

Ed Scander explica campanha #somostodosCBSK

ISF publica carta de apoio à CBSK

Por Redação Tribo Skate
Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com