Diogo Vilela no #FUCKALLPOSERS

02 de fevereiro de 2017 ● POR Redação Tribo Skate

A Tribo Skate conversou com Diogo Vilela, skatista amador da Nineclouds Skateboards que tem parte no #FUCKALLPOSERS, primeiro vídeo da marca.

Conhecido como Ronaldinho, o skatista de Perus trabalha e é local do centro de São Paulo.

Assista à parte de Diogo Vilela no #FUCKALLPOSERS, em primeira mão.

E em breve, o triboskate.com.br publicará entrevista e parte do novo profissional da Nineclouds, Patrick Vidal.

Por Sidney Arakaki

Todo mundo te chama de Ronaldinho. Mas na verdade é seu apelido.
Isso, é só apelido. Meu nome é Diogo de Abreu Vilela.

De onde surgiu esse apelido?
Esse apelido foi quando eu estudava, na quarta série. Aí veio o Ronaldinho Gaúcho e o pessoal achava que eu parecia com ele. Desde a quarta série até hoje, Ronaldinho.

Até antes do skate.
Antes de eu andar de skate.

São poucos que te conhecem como Diogo.
Poucos me chamam de Diogo, todo mundo me chama de Ronaldinho, não sabem o nome.

Mas no vídeo da Nineclouds você está como Diogo Vilela. Você não acha que confunde?
Eu acho que confunde. Só minha mãe me chama de Diogo, ou meu irmão.

E quem decidiu colocar Diogo Vilela no Fuckallposers?
A marca mesmo, a Nineclouds. Não que seja o padrão, mas que é o certo, usar o nome do atleta. É ruim quando o apelido pega e as pessoas não se lembram do nome. Tem até um pessoal que lembra, mas é muito engraçado.

Quando tiver seu pro-model, vai ser Diogo Vilela ou Ronaldinho?
Vai ser Diogo Vilela. Eu quero que seja Diogo Vilela.

Então você prefere até que parem de te chamar de Ronaldinho. Vai parecer que são duas pessoas.
Isso é verdade mesmo, por um lado. Mas se pararem de chamar de Ronaldinho, não vão saber quem é o Diogo. Não conhecem, é muito engraçado. Mas acho que seria bom, por um lado, começar a trabalhar o meu nome mesmo.

Diogo-Vilela-Hard-Flip-frame-sequencia-

(Cortesia Nineclouds/André Godoy)

Tem algum segredo pra fazer suas manobras flutuarem?
Segredo não. Mas eu descobri que precisa bater o tail certinho no chão e pular bem alto e esperar. Todo mundo pergunta a mesma coisa. Esse é o segredo.

Olhando pelo vídeo dá impressão que é efeito especial. Mas eu já te vi andando ao vivo e você dá uma flutuada e o skate roda em câmera lenta.
Sim, esse é o segredo. Pular bastante. Eu aconselho o pessoal sempre. Quer dar manobras altas? Pula bastante e chuta certinho, que vai sair alto.

Demorou pra você pegar esse jeito?
No começo demorou um pouco. Depois foi vindo com o tempo, sozinho. Eu nem treinava pra subir tanto. Eu treinava normal. Eu via os vídeos com o Rodrigo Teixeira, Stevie Williams. Via muito esses caras fazerem manobras altas e prestava atenção como eles chutavam. Nisso que eu prestava atenção, comecei a tentar igual. Algumas davam certo, girava igual, dava certo de subir igual. É o jeito de colocar o pé, o corpo. Aí eu viciei em dar manobras altas.

Você anda de skate todos os dias?
Ando quase todos os dias. Só quando não chove.

Você ainda tá andando antes de abrir a loja?
Não. Antes de abrir a loja não. Eu entro às 11h30, não consigo andar antes de abrir a loja. Eu acordo cansado porque ando de noite. Eu saio da Galeria às 19h30 e fico andando até umas 23h, 23h30 na Praça Roosevelt. Ou, às vezes, eu ando em Franco da Rocha, que tem uma pistinha nova. Mas eu gosto mais da Roosevelt. Eu fico andando até tarde e no outro dia eu tô quebrado e venho trabalhar.

Antigamente você andava antes de abrir a loja.
Antigamente eu andava. Chegava cedinho, umas 8h30, 9h, entrava às 10h. Andava uma horinha e vinha trabalhar.

Como foi o ritmo pra gravar as suas manobras pro Fuckallposers?
Foi meio devagar pra mim, porque eu só podia filmar nos finais de semana. Dias que eu não trabalho, que são os domingos. Então eu trabalhava a semana inteira. De sábado eu trabalho das 9h às 18h. Eu saia da Galeria, ia pra rodoviária do Tietê e pegava o ônibus pra Araras. Dormia na casa dos caras pra filmar. Acordava cedo no domingo e já ia com eles pras missões. Um dia só pra filmar na semana. Foi corrido pra filmar.

Araras é onde fica o QG da Nineclouds.
Isso. Exato, Araras é o QG da Nineclouds, eu ficava direto lá.

Mas vocês fizeram outras viagens também.
A gente viajou pra Londrina. E filmei algumas coisas aqui no centro de São Paulo também. A gente ficou pelo centro, Araras e Londrina. Uma coisa ou outra de Limeira, ali pela região do interior de São Paulo.

Você tem uma conexão com os outros skatistas do time? Antes de entrar na marca já eram amigos?
Eu tenho conexão com o Gian Naccarato. Eu falo bastante com ele. Sempre ele tá aqui pela Galeria, converso muito com ele. Eu já admirava a pessoa que ele é. O Stanley Inacio eu já conheço bem antes de estar na marca. Conheço desde o tempo que ele era da Reef, muito antigamente.
O Patrick Vidal eu conhecia só de vídeos, mas pessoalmente também é muito gente boa.
O Diego Rett eu conheço de Londrina, que eu fui lá conhecer ele. Pessoa muito admirável.
O André Godoy não tem o que falar, ele é um mestre da Nineclouds. Ele é skatista, team manager, tudo pra gente. Ele é a ferramenta especial da Nineclouds. Conheci ele depois que entrei na Nineclouds.
E o Jonatas Souza eu conheci aqui na Galeria do Rock, quando teve uma turnê, ele veio pra cá.
E o Ruan conheci no mesmo dia que conheci o Jonatan.

Você está satisfeito com o vídeo, tem algum comentário final pra fazer?
Eu tô muito satisfeito com o resultado do vídeo. Os caras se esforçaram, todo mundo está de parabéns, a marca também está de parabéns por abraçar a gente assim. Não tem tantas regalias igual outras marcas, mas eles são uns caras que gostam muito de skate. Não estão ali por dinheiro, igual outras marcas. A marca cresceu bastante no mercado do skate e eu quero que continue assim. E esse vídeo foi uma surpresa pra gente, que todo mundo conseguiu se superar. Cada um tem uma parte diferente da outra. É uma marca que eu me identifico bastante, quero agradecer o Rodrigo Campanha, o Mario Vargas, o Rangel Zutin, André Godoy, por terem me acolhido na marca. Muito obrigado a Nineclouds. E também muito obrigado ao meu patrão, que me dá muitos conselhos, o Alexandre Hotoshi (Oxi Skateshop), pra eu não fazer coisas erradas, tomar decisões erradas. É uma pessoa que agradeço. Por estar na Oxi, várias portas se abriram. Muito obrigado, Alexandre Hotoshi.