Off the Wall: A história da Vans

17 de outubro de 2018 ● POR

Em 16 de março de 1966, uma nova loja abria suas portas no endereço 704 East Broadway, em Anaheim, na Califórnia. Esse era o primeiro dia da The Van Doren Rubber Company, uma empresa que 40 anos depois passaria a valer mais Us$ 3,5 bilhões e tornaria-se um símbolo cultural.

Hoje conhecida como Vans, a emblemática marca teve um início modesto e com pouca – ou quase nenhuma – ligação com o mundo dos esportes de ação.

A marca surgiu da vontade dos irmãos Paul Van Doren e Jim Van Doren, junto dos sócios Gordon Lee e Serge Delia, de terem o próprio negócio. Paul tinha o expertise acumulado ao longo de anos trabalhando para outra marca de calçados, a Randy’s.

Off the Wall: A história da Vans

“Meu pai trabalhava para uma empresa de Boston. Quando ele decidiu que ia começar a própria marca, ele tinha noção que não sabia nada sobre propagandas. Ele decidiu fazer tênis com muita qualidade, com solas com o dobro da espessura, com um tecido mais forte que durava mais”, conta Steve Van Doren, filho de Paul.

No primeiro dia, 12 pares de tênis foram vendidos. O único problema é que os tênis vendidos não estavam prontos e tiveram de ser feitos naquela mesma tarde. Só existia um modelo disponível, o Deck Shoes, que depois passou a ser conhecido como Style #44, e hoje é vendido como Authentic.

Off the Wall: A história da Vans

No primeiro dia, os consumidores podiam escolher entre três estilos diferentes. Se eles não gostassem de nenhum, tinham a opção de trazer o tecido de sua preferência.

“Como não sabíamos quem ia usar os tênis, fizemos eles mais estreitos e mais folgados. Nós até fazíamos o tênis de acordo com pedidos” explica Steve Van Doren.

No início dos anos 70, tênis Vans começarem a aparecer em toda a Califórnia, especialmente nos pés de surfistas e – pouco depois – nos pés de skatistas como os skatistas de Dog Town Jay Adams, Tony Alva, Jerry Valdez e Brad Bowman.

“Eles curtiram como o tênis grudava no skate. Foi quando começamos a ouvir a opinião dos skatistas na hora de fazer os tênis. Começamos a adicionar um pouco de enchimento na parte de trás, adicionar mais borracha na parte de trás, colocar a etiqueta Off The Wall“.

Off the Wall: A história da Vans

Foi desse relacionamento com os skatistas que surgiram alguns dos modelos mais clássicos da marca. Primeiro veio o Vans #95, ou Era, desenhado por Tony Alva e Stacy Peralta.

“Quando eles passaram a querer um tênis que oferecesse um tênis com ainda mais estabilidade, criamos o modelo Old Skool, o “Style 36“”, revela Van Doren.

Esse foi o primeiro tênis a contar com a faixa lateral branca, a Sidestripe, um ícone da Vans até os dias de hoje. O modelo foi o primeiro tênis da marca a trazer couro em sua construção, o que deixava o Old Skool ainda mais resistente.

Off the Wall: A história da Vans

 

A partir daí, a Vans e o estilo de vida surf/skate passaram a andar lado-a-lado. O slogan da Vans, Off The Wall, vem justamente do skate. “A inspiração foi de ver Tony Alva voando literalmente acima das paredes das piscinas vazias da Califórnia”, revela Steve Van Doren.

Quando os skatistas passaram a querer um tênis com o cano um pouco mais alto, foi lançado o modelo Style 37, o mid-top. Seis meses depois, foi lançado outro modelo icônico que até os dias de hoje segue firme na moda: o Vans #38, mais conhecido como Sk8-Hi.

Off the Wall: A história da Vans

Em 1977, a marca lançou o primeiro modelo sem cadarço, o Style #98 ou, como é conhecido Slip-On. O modelo fez sucesso entre skatistas e BMXers, mas ninguém poderia imaginar que seria esse modelo que faria a Vans ganhar o mundo.

No verão de 1982, chegava às telas dos cinemas o filme Fast Times at Ridgemont High (Picardias Estudantis, em português). O filme fez pouquíssimo sucesso no Brasil, mas foi um estouro no Estados Unidos. No filme, Sean Penn é o surfista adolescente Jeff Spicoli, que usa o emblemático tênis quadriculado.

Depois do filme, a Vans nunca mais foi a mesma.

Off the Wall: A história da Vans

Apesar do reconhecimento gerado pelo filme, os anos 80 foram difíceis para a Vans. A marca havia começado a vender diversos outros produtos além de tênis, o que acabou drenando os recursos da empresa. Em 1983, a Vans declara falência.

Levaria mais dois anos até a marca conseguir pagar todos os seus débitos e voltar a ser lucrativa. Em 1988, Paul Van Doren e Gordon C Lee vendem a marca para a empresa McCown De Leeuw & Co. por US$74 milhões.

Em 1988, a Vans lança seu primeiro modelo de tênis assinado por um skatista, Steve Caballero. Inicialmente, o tênis tinha cano alto e levava o nome Vans Caballero. Seu principal diferencial era o enchimento, que deixava o tênis maior.

Depois de cortar o cano de três dos seus próprios tênis, Steve convenceu a Vans a lançar uma versão como o cano médio. Assim nascia o Half-Cab, um dos tênis de skate mais emblemáticos do mundo.

Off the Wall: A história da Vans

Nos anos 90, a marca novamente começou a ter problemas financeiros. O altíssimo custo para produzir tênis na Califórnia forçou a Vans a montar uma fábrica na Ásia, algo que a maior parte das marcas de tênis já fazia.

Foi nesse período que a Vans começou a investir bastante em eventos. A começar pela Tríplice Coroa Havaiana, tradicional campeonato de surf que acontece no final do ano no North Shore do Hawaii, e o Warped Tour, festival de música itinerante que foi realizado durante 22 anos, e a Tríplice Coroa de Skate.

Off the Wall: A história da Vans

Poucos anos depois, a Vans começou a investir em pistas de skate. A primeira foi a Combi Pool, uma réplica de um bowl que fazia parte do lendário Pipeline Skatepark, pista de skate que foi fechada no final do anos 80. O bowl gigantesco foi construído num shopping na Califórnia.

Essa foi a primeira de muitas pistas construídas pela marca, como o Vans Skatepark em Huntington Beach e – mais recentemente – o Vans Skatepark de São Paulo.

Sessão de estreia Vans Skatepark São Paulo

Ao longo da próxima década, a Vans continua se consolidando como uma das marcas mais icônicas de esportes de ação, aparecendo em filmes, séries de TV e realizando diversos eventos de músicas e esportes ao longo dos Estados Unidos.

Em 2004, a Vans é comprada pela VF Company, empresa proprietária de diversas marcas de vestuário esportivo. “A marca passou a valer US$ 3,5 bilhões. Nos anos 60, eu mesmo distribuia panfletos e flyers pelo bairro convidando as pessoas a irem para a nossa loja. Hoje, estamos construindo skateparks em diversos lugares do mundo, eu tenho um “motorhome” bem legal”, revela Van Doren.

Off the Wall: A história da Vans

Hoje em dia, a Vans é a maior marca do grupo.

“Com o apoio que conseguimos ao fazer parte da VF, conseguimos realizar a Tríplice Coroa Havaiana, fizemos o Warped Tour por 24 anos. A VF nos dá mais dinheiro para fazermos eventos maiores, patrocinar atletas, artistas e músicas, manter a House of Vans”, explica.

Em 2016, a marca deu início ao Vans Park Series, o circuito mundial de modalidade Park, com etapas no Brasil, Estados Unidos, Europa e Ásia, consolidando ainda mais a sua importância no desenvolvimento do esporte.

Vans no Brasil

Os tênis Vans começaram a serem vendidos no Brasil nos anos 90 por importação independente. Apenas algumas poucas lojas vendiam os tênis da marca, e uma série de imitações nacionais preenchiam a lacuna e saciavam a vontade do skatista brasileiro de ter um par Vans nos pés.

Foi somente em 2010 que a marca passou a ter ações no país. Até então, não existiam qualquer tipo de marketing da Vans voltado para o público brasileiro.

Off the Wall: A história da Vans

Em 2016 a VF entrou oficialmente no país e começou as operações no Brasil. A empresa não perdeu tempo, abrindo quatro lojas exclusivas em dois anos, além de ter planos para abrir mais 15 unidades.

Em 2017, o e-commerce da marca começou a vender os produtos Vans pela internet.

Com certeza o maior passo da marca foi a abertura de um skatepark no Parque Villa Lobos, em São Paulo, que recebeu a etapa brasileira do Vans Park Series desse ano, alterando para sempre a trajetória do skate no Brasil.

Isso é Off The Wall!