Um ídolo que vira estrela!

06 de março de 2013 ● POR Tribo Skate

A notícia pegou toda a nação brasileira do skate de surpresa e repercutiu nos principais meios de comunicação e redes sociais. Morreu aos 42 anos, na manhã desta quarta-feira (6) em São Paulo, o skatista Chorão, vocalista e líder do Charlie Brown Jr.

Amplamente conhecido do público em geral pelas músicas que levaram nossa paixão aos quatro cantos do Brasil e que também abriu espaço para o skate na mídia, a história do Chorão com o carrinho é de longa data e rica em detalhes, incluindo aí um capítulo que muita gente do skate desconhece: seu apelido foi dado pelo editor da Tribo Skate, Fábio Bolota.

Histórico
Chorão já teve model de tênis assinado pela Qix, foi responsável por marcas como Plata e Doce, sem esquecer da construção do seu próprio skate park em Santos/SP, ele também é lembrado pelos que acompanham a história do skate nacional por ter participado de uma galera em uma época onde o skate tinha toda uma circunstância contestadora, fazendo parte dos Ibira Boys.

E a lista de serviços prestados por ele ao skate não para aí: em muitos de seus shows tinha aquele rolê classe em uma minirrampa montada no palco, ele levou o skate para as telonas com o filme Magnata, incluíndo aí cenas feitas em sessões memoráveis na piscina Classe D (SP), sem contar os inúmeros clipes onde o carinho sempre esteve presente.

Os primeiros arranhões do Chorão na música foram com a banda What’s Up?, hardcore pesado com apenas com letras em inglês. Logo ele apresentou para os amigos, no distante 1992, a primeira demo-tape (fita cassete) já com o nome Charlie Brown Junior. Entre os primeiros a receber a fita, a revista Tribo Skate, Cecília Mãe, Paulinho Davi, Paulo Anshowinhas e tantos outros que estão manifestando sua saudade nas redes sociais. Dino Dragone, por exemplo, se orgulha de ter tocado pela primeira vez no rádio uma das músicas do CBJr no programa Trip 89, da revista Trip.

Assim que assinou com a Virgin, a banda se tornou um grande fenômeno popular. Chorão sempre fez questão de levar o skate em seus shows e em grande parte de suas músicas, uma delas, inclusive, criada em parceria com o amigo Thronn, lenda do skate que hoje vive nos EUA e que também lhe rendeu homenagens nesta manhã.

Entre tantas coisas que constituem seu legado ao skate e à música, Chorão foi um dos responsáveis por alguns dos grandes eventos de skate (Madre de Deus, Bahia), fez parte da equipe H-Prol nos anos 80, poster da revista Yeah!, na mesma época, e assinou o roteiro do filme O Magnata, entre outras incursões no cinema.

Foi parceiro inconteste da revista Tribo Skate, que sempre abriu espaço para o seu envolvimento com o skate e a música, com várias matérias publicadas e a capa da edição 87, de 2002.

TRIBO SKATE