What's Up

Rafael Eduardo fala sobre vídeo solo com a Posible


O skatista amador de Franca, interior de São Paulo, Rafael Eduardo, está lançando uma coleção de roupas com a Posible, que é uma de suas patrocinadoras.

“Rafael Eduardo – VX Part Posible” é o vídeo solo do skatista produzido em sessões no Brasil e na China com filmadora analógica VX 1000 para promover a coleção.

Rafael Eduardo conversou com a Tribo Skate sobre o vídeo e os seus planos futuros.

Assista ao vídeo e leia a entrevista abaixo

Por Sidney Arakaki

Qual a “pilha” dessa intro do vídeo?
Como uma collab é uma união de identidades, eu quis expressar a identidade que eu vivo. No meio do caos e desordem, a solução que é o amor, o respeito e preocupação com o próximo, que aprendi lendo e estudando sobre a vida de Jesus.

Fala um pouco dessa viagem pra China.
Já fui duas vezes pra China, em 2016 e 2017. Essas imagens do vídeo são da primeira trip, que fiz em 2016. A oportunidade rolou pelo convite de um amigo, o Henrique Lucas, que mora lá há quatro anos. Andamos muitos anos de skate juntos no Brasil. Foi uma experiência única conhecer e andar em um dos melhores lugares do mundo. Todos skatistas tem que colar pra entender o quanto aquele lugar é mágico. Muitas opções de picos perfeitos. Apesar da comida e a cultura serem bem diferentes da nossa, a vontade de andar sobressai acima de qualquer dificuldade. Dificuldade que também nos adaptamos.

“Torrou” todas imagens de VX que filmou por lá?
Sim. De VX usei todas que curti. O que sobrou não vou soltar publicamente, somente para meu arquivo pessoal. Tem imagens em HD que saem em agosto de 2018, num projeto da ÖUS de dez anos da marca.

Pra esse vídeo da ÖUS você já programou mais viagens pra 2018?
Em fevereiro, março, estou indo pra Europa finalizar minha parte.

Não é barato viajar pra andar de skate. Quem bancou essas viagens desse vídeo de VX?
A Posible me ajudou em uma parte e o restante foi todo ‘corre’ meu. Independente, fruto da Dreams, uma skateshop que tenho e que ajuda nas minhas despesas. Eu não estava na ÖUS ainda nessa primeira trip. Inclusive, lá na China eu recebi o convite pra entrar no time e até meu vídeo de introdução que saiu junto com o restante da equipe tem algumas imagens dessa primeira viagem pra China em HD.

Como vão os negócios na sua loja em Franca?
A loja é minha e do meu amigo Eduardo MS. Contamos com mais dois amigos nossos, o Guilherme Faria e o Rafael Lourenço. Eles nos ajudam em todos os setores. Também temos dois irmãos que fazem parte do time manobrando, Ivan Junior e Iago José. Ao total somos seis, todos skatistas, e todas marcas que trabalhamos são focadas totalmente no skateboard, que contribuem com a cena e nossa cultura. Desenvolvemos nosso site a seis meses, e no meio da crise do país estamos trampando bastante e fazendo acontecer para que as coisas cresçam e possamos ajudar mais pessoas. Esse é o intuito, crescer e aumentar os gomos da corrente.

E o skate na cidade? Muitos picos? Tem pistas boas na região pra atender a demanda de skatistas?
Tem alguns picos na cidade e bastante lugares pra se andar nas cidades vizinhas. É uma cena forte, bastante pessoas boas andando com pouca visibilidade e condições.

Franca ganhou há dois anos uma skate plaza. Pequena, porém, com uns obstáculos bons que estão ajudando bastante na evolução da molecada, que é bem visível depois da construção desse espaço.

Andar para marcas que os donos são skatistas cabreiros, no caso, Marcelo Marreco da Posible e Rafael Narciso da ÖUS, te dá que tipo de motivação?
Com certeza, isso me inspira muito. Estar junto com pessoas que realmente entendem o skateboard na pele. Se todas as marcas de skate forem de skatistas de verdade, seria totalmente diferente o mercado e valorização.

Mas tem “skatistas de verdade” donos de marcas e lojas, que só sugam.
Você está perguntando ou afirmando? (risos)

(risos) Comentei. Esse seu discurso aí já tá batido.
(risos) Triste né, mano? Mas esses não podem ser considerados como skatistas verdadeiros. O verdadeiro skateborder não esquece suas raízes e sabe as dificuldades de estar nas ruas trampando pesado, na maioria das vezes com pouca grana. Marreco e Narsa são verdadeiros. Muito orgulho em fazer parte.

Vai se profissionalizar em 2018?
Tenho alguns projetos pra 2018 como amador ainda. Os principais são esse vídeo da ÖUS e uma passagem no Simplesmente. Vou deixar as coisas fluírem, mas a ideia de profissionalização está para 2019.

Pra você, quem foram os skatistas brasileiros que mais se destacaram em 2017?
Eu prefiro falar quais os que me motivam a andar de skate e passam uma essência real quando manobram: Rodrigo TX, Tiago Lemos, Luan Johnny, Mike Augusto, Rodrigo de Souza, Claudio Junio, Patrick Vida, entre outros.

 

Veja também

Kamau lança clipe da música “Tudo Uma Questão De …”

Lucas Rabelo na Nike SB

Luciano Kid é homenageado em São Vicente

Plan B surpreende Leticia com pro-model

Por Redação Tribo Skate
Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com