Mantendo a Chama Acesa: 27 anos de Tribo Skate

14 de setembro de 2018 ● POR Tribo Skate

27 anos de estrada não é para qualquer um!

Em abril de 1991, a revista Tribo Skate surgia para preencher o vazio deixado pela término de todas as revistas sobre skate no Brasil. Com Cesar Gyrão – editor assistente da extinta Overall – e o redator Fabio Bolota na linha de frente, a Tribo Skate marcou o início de um novo momento para o skate brasileiro.

Passados 27 anos e 257 edições publicadas, a Tribo Skate continua mantendo acesa a chama do skate brasileiro. Para comemorar esse momento histórico, separamos 11 grandes momentos indiciado por Cesar Gyrão que marcaram a história de uma das revistas mais skateboard do país!

A Tribo Skate, entre outras coisas, fomentou o skate em suas várias faces, abordando todas as modalidades, todas as categorias e todos os estilos.

Continue acompanhado a Tribo Skate no Instagram, Facebook e YouTube.

1 – Tribo Skate Número 1

Tribo Skate Número 1

Depois de um hiato de cerca de um ano sem revistas especializadas em skate no Brasil, sai a primeira edição da Tribo Skate – à epoca – Tribo Sk8-Mag. Com 28 páginas, sendo apenas o caderno de capa em quatro cores e o miolo, com 24 páginas, em preto e branco. 5.000 exemplares foram distribuídos em bancas de SP de mão em mão e em lojas de skate do Brasil, com ajuda dos anunciantes.

Na capa, Marcelo Just em um registro do fotógrafo Daniel Bourqui no extinto ZN Skatepark, que ficava em Santana, São Paulo (SP).

2 – A primeira capa de skate feminino da história

Patiane Freitas, Tribo Skate 112 - 2005

Em 2005 Patiane Freitas estampou a primeira capa de revista brasileira com uma skatista. A foto do frontside boardslide descendo um corrimão na edição 112 da Tribo Skate foi um marco e continua atual depois de todos esses anos.

Atualmente Patiane mora nos EUA com o marido, skatista paraense, Fellipe Francisco e os dois filhos.

3 – Tribo 20 Skate Pro

Capa 20

O evento Tribo 20 Street Pro, saiu na edição 21 e foi um verdadeiro festival no ginásio Mauro Pinheiro, em São Paulo. Nilton Neves foi o campeão, deixando o então matador de campeonatos, Rodil Ferrugem em segundo lugar. A capa da edição comemorada, a 20, foi com dois skatistas, Ari Bason em fs grind com o Misael Simão passando por cima de fs air (nose bone). Foi nossa comemoração de cinco anos de revista, em 1996

A capa da edição 21, com a cobertura do evento, já era com o Alexandre Zikkzira, em fs lipslide num corrimão. A cobertura do evento teve seis páginas, e evidenciou o lado bom sem deixar de lado alguns grandes problemas de produção do evento.

O Tribo 20 Street Pro ficou marcado pela vitória emocionante de Nilton Neves, que entre outras pérolas mandou um fs nosepick nos 3,60 m de altura do quarter pipe e fez o público que lotava o ginásio gritar sem parar. Rodil, mesmo com o dobro de manobras de Nilton, ficou em segundo lugar, seguido de Biano Bianchin, Lúcio Mosquito e Marcelo Kosake. O evento teve shows nos intervalos, com bandas como o RPW e Boi Mamão.

Entre os problemas da festa, a impossibilidade do Charlie Brown Junior de tocar, devido ao tamanho do palco e das entradas do ginásio, que não comportaram o equipamento da banda!

4 – A história do Skate no Brasil, edição 50

Tribo Skate 50

A edição de número 50 da Tribo Skate fez um grande apanhado da história do skate no Brasil até aquele momento. Abordando o início do skate nos anos 70, passando pela duas décadas seguintes, a edição serviu de base para o primeiro livro sobre o assunto no país, o “A Onda Dura”, de 1999. O livro foi escrito por Fábio Bolota, Marcos ET Cunha, Cesar Gyrao, Cecília Mãe, Cesinha Chaves e Guto Jimenez.

5 – Entrevista com Bob Burnquist – Um Herói Brasileiro

Tribo Skate Número 91

Um dos nomes mais importantes do skate brasileiro estampou a capa e as página da edição 91, de 2003. Foram 23 páginas de entrevista com o super-herói brasileiro, que já colecionava resultados expressivos como personagem mundial dos esportes de ação, quebrando barreiras e expandindo os horizontes da modalidade skateboarding.

6 – Tribo Skate World Cup Skateboarding Contest, 1998

Tribo Skate World Cup Skateboarding Contest, 1998

Em 1998, novamente a história foi feita com a primeira edição da etapa brasileira do Circuito Mundial, o Tribo Skate World Cup. Foi a primeira vez que o WCS saiu fora do eixo EUA-Canadá-Europa para aterrizar no ginásio Mauro Pinheiro do Ibirapuera.

O campeonato – que marcou o lançamento da edição 40 da Tribo Skate – contou com a participação de aproximadamente 16 competidores internacionais entre vertical e street. A etapa foi experimental e no ano seguinte passou a valer pro ranking mundial.

O campeonato deu origem a uma trilha sonora animal, que foi encartada em CD. Você pode curtir essa playlist no nosso Spotify!

7 – Primeira revista Especial 3D, com óculos encartado

Tribo Skate 3D

Na edição 139, de maio de 2007, Sandro Dias literalmente saltava da capa com um 540 one foot. Essa foi a primeira vez que uma revista de skate lançava uma capa 3D.

Foram 17 páginas em 3D, que necessitavam de um óculos especial que acompanhava a revista. A americana The Skateboard Mag também utilizou desse artifício algum tempo depois em uma das suas capas.

8 – Especial Skate Punk – Edição 66, 2001

Tribo Skate Skate Punk

Punk’s Not Dead!

A matéria principal da Tribo Skate 66 era sobre o Skate Punk. Escrita por Marcos “ET”, com a colaboração de Cecília Mãe, falou sobre as principais bandas que representavam a cena punk no Brasil do início dos anos 2000 e os skatistas que faziam parte do movimento.

A revista também trouxe um questionamento: seria esse o ressurgimento de um movimento esquecido ou a continuidade dos punks oriundos dos anos 70/80?

9 – Skate Customizado – Primeira no formato 22,7 x 28 cm.

Tribo Skate 143

A edição 145, de setembro de 2007, quebrou o formato tradicional de 21 x 28 cm de uma revista padrão e saltou para uma largura diferente, 22,7 cm. Com o tema Customização, a edição apresentou produtos e fotos em ambientes alterados por artistas e skatistas convidados. O formato foi adotado pela Tribo Skate até a edição 234, de maio de 2015.

A arte da personalização teve momentos gloriosos com personagens como Rogerio Troy, Fabio Schumacher, Vanderley Arame, Sandro Sobral entre os skatistas e Baixo Ribeiro, Chivitz, Aderbal Billy, Markone, Sergio Garb e Dingos entre os artistas.

10 – 30 anos de Urgh

Tribo Skate - Urgh 30 anos

Criada em 1982 pelo skatista Jorge Kuge, a URGH é uma das marcas de skate mais emblemáticas do Brasil. A URGH foi uma das pioneiras na fabricação de roupas, decks e equipamentos de proteção no país, e ao longo dos anos ganhou uma verdadeira legião de fãs.

E põe anos nisso! Em 2012, a marca brasileira completava 30 anos. O presente que a Tribo Skate preparou foi uma capa alucinante de Jorge Kuge em um estiloso boneless.

A história da marca está intimamente ligada à história do skate brasileiro. A garra para montar a própria marca, e as dificuldades encontradas no caminho marcam um paralelo inconfundível com o início do esporte no Brasil.

A reportagem – assinada por Cecília Mãe – logo avisava “uma vez eu disse que o skate brasileiro pode ser dividida entre antes e depois desta marca. Agora você vai entender porquê.”

11 – Especial Skate Shoes (Tribo Skate 98)

tribo skate skate shoes

O fabuloso mundo dos skate shoes serviu como tema principal da edição de número 98, de dezembro de 2003. A revista abordava a história do tênis para skate e falava sobre os principais modelos disponíveis no mercado naquele momento.

Essa foi apenas um das edições temáticas da Tribo Skate. Depois, vieram mais duas versões; um especial sobre adesivos e uma edição especial sobre shapes.

12 – 25 anos de Tribo Skate – #248

Tribo Skate 25 anos

Com um belíssimo 360 flip, Marcelo Profeta estampou a edição 248 da Tribo Skate, que celebrava 25 anos da revista. A edição especial, repleta de conteúdo de primeira, trazia Pedro Barros, Karen Jonz, Sandro Dias, Nilton Neves e Bob Burnquist relembrando momentos marcantes da revista ao longo dos anos.

Na matéria O alvorecer de uma nova era, a história da revista é revisitada em um rolê com Marcelo Just, que estampou a capa da primeira edição do título. O artigo conta um pouco da trajetória da revista e do skatista ídolo dos anos 90.