Meu nome é Bagdá pré-estreia no Festival de Berlim

18 de dezembro de 2019 ● POR Divulgação

O filme Meu nome é Bagdá, segundo longa da cineasta Caru Alves de Souza (De Menor) e produção de Rafaella Costa (Manjericão Filmes), foi selecionado para o Festival de Berlim 2020.

A história gira em torno de uma skatista de 17 anos chamada Bagdá, interpretada por Grace Orsato, que faz sua estreia como atriz e é skatista na vida real. A cantora Karina Buhr, que também faz sua estreia como atriz no cinema, está no elenco e interpreta Micheline, mãe de Bagdá.

Filmado na Freguesia do Ó, zona norte da cidade de São Paulo, o filme acompanha o dia a dia da jovem skatista, que divide seu tempo entre a escola, onde está sempre na mira da diretora (Suzy Rêgo), com sua mãe e suas duas irmãs mais novas (Helena Luz e Marília Fernandes), além de frequentar o salão de beleza da transexual Gilda (Paula Sabatini), onde sua mãe trabalha como manicure, e o bar local da Dona Gladys (Gilda Nomacce), uma mulher que viveu os tempos áureos de politização operária dos anos 80 .

Com o elenco e equipe composto em sua maioria por mulheres, “Meu nome é Bagdá” estreia mundial no Festival de Berlim 2020 na mostra Generation.