Ol’Dirty Skaters lançam “Jovens há bastante tempo”

22 de março de 2018 ● POR Redação Tribo Skate

O grupo curitibano de skatistas dos anos 90 Ol’Dirty Skaters se reuniu e produziu o vídeo “Jovens há bastante tempo”.

Entre os Ol’Dirty Skaters, vários skatistas publicados nas páginas da Tribo Skate como Marcelo Marreco, Felipe Nagano, Guilherme Yudi e Michell Simonetto.

Com partes de Glauber Hamann, Washington Pereira, Guilherme Yudi, Guilherme Labiak, Peterson Black, Fabio Batata, Heriberto Alemão, Peterson Pet, Hugo Rato e seção dos amigos de várias gerações da cena curitibana como Julio Japa, Murilo Linhares e Osni Ribeiro, o vídeo foi lançado numa confraternização no último final de semana e agora foi disponibilizado online.

Assista ao vídeo e veja o perfil de alguns dos skatistas do Ol’Dirty Skaters abaixo

Glauber Hamann

Glauber Hamann, switch k-grind. (Wester Fernando)

Nome: Glauber Hamann
Apelido: Não Tem
Idade: 38 anos
Skate desde: 1993
Frequência média de skate por semana: 1 vez por semana
Breve histórico: Natural de Campo Mourão, Paraná, e como profissão, Engenheiro Mecânico. Iniciei no skate em 1993 por influência de amigos e do programa Skate Session.
Na época, tínhamos muita pouca informação, e por se tratar de uma cidade do interior, era ainda mais difícil. Auge do skate no anos 90, participando de campeonatos inclusive do saudoso Circuito Maha Skates.
Após o início da universidade e trabalho, fiquei afastado dos campeonatos, mas nunca deixei de praticar, pois é muito amor envolvido.
Mudei pra Curitiba em 2008, e retomei a prática na extinta Praça CWB, quando foi possível reencontrar os amigos que havia feito na época dos campeonatos e o mais legal de tudo, ainda andavam de skate.
De lá pra cá, criamos uma sintonia perfeita, formando a crew “Ol’Dirty Skaters”, que é formado por pessoas envolvidas com o skate e que apesar de família, trabalho, filhos, etc, nunca deixaram de amar o esporte.

WASHINGTON PEREIRA

Washington Pereira e a filha Gabriela. (Arquivo pessoal)

Nome: Washington Pereira de Oliveira
Apelido: Was
Idade: 39
Skate desde: 1986
Frequência média de skate por semana : 2 a 3 dias
Breve história: Estou há sete anos trabalhando na Adidas Global como Store Manager. Skate é minha vida. Sou de Brasília, da melhor época do skate dos anos 90 do Setor Bancário. Me profissionalizei pela  marca Capital Skateboarding de Brasília. Hoje tenho uma princesa de seis anos chamada Gabriela, que anda comigo. Sou muito grato por fazer parte dessa família chamada skate e hoje tenho os meus irmãos olds com as mesmas adversidades, mas firmes no skate e sempre unidos.

Guilherme Yudi

Guilherme Yudi, flip. (Wester Fernando)

Nome: Guilherme Yudi
Apelido: Yudi
Idade: 32 anos
Skate desde: 1995
Frequência média de skate por semana: 2 vezes por semana
Breve histórico: Comecei a andar de skate com meu irmão mais velho entre os anos de 1994 e 1995. Já em 1999 consegui meus primeiros patrocínios: CML, marca de shapes de SP, e Maha Skates de Curitiba. Participei de diversos campeonatos pelo Brasil como amador, mas nunca me profissionalizei, talvez por nunca gostar de campeonatos e nunca me dar bem. Fora do país, tive a oportunidade de andar (for fun) em algumas cidades dos EUA e alguns países da Europa. Fiquei alguns poucos anos parado para me dedicar aos estudos, voltei a andar e espero continuar por um bom tempo ou até minhas pernas aguentarem. Atualmente sou empresário e atuo como gerente comercial nesta empresa. O skate está presente em praticamente todos os dias na minha vida, já me deu muitas dores, me proporcionou conhecer muitos lugares, me deu muitas alegrias e os melhores amigos que levo pra vida.
O vídeo é interessante para nós, pois não temos qualquer interesse no skate a não ser andar. Todos nós temos esse pensamento. Obviamente, sabemos de nossas limitações, mas o intuito do vídeo é mostrar o skate por quem realmente o ama, independente da qualidade de manobras ou imagens. Andamos fora da curva e continuaremos a contrariar as estatísticas.

Guilherme Labiak

Guilherme Labiak. (Arquivo pessoal)

Nome: Guilherme Labiak
Apelido: Gui
Idade: 37
Skate desde: 1992
Frequência: 2 a 3 dias por semana
Histórico: Um dos fundadores da marca LaTeX no fim dos anos 90, fundador da Praça Cwb Skate e Lazer em 2005, morou durante quatro anos no exterior. Entre os locais onde viveu estão Nova York, Los Angeles e Londres. Nunca parou de andar de skate, apenas em um período de um ano que sofreu uma ruptura no tendão do pé direito, em fevereiro de 2017.

Peterson Pimentel da Silva

Peterson Pimentel da Silva. (Arquivo pessoal)

 

Nome: Peterson Pimentel da Silva
Apelido: Black
Idade: 38 anos
Skate desde: 1995
Frequência média de skate por semana: uma a duas vezes por semana.
Breve histórico: Skatista desde 1995, natural de Curitiba, com muitas influências como Alex Carolino, Marcos Mamá, entre outros atletas da época, inclusive a extinta Latex.
Por muitos anos corri campeonatos amador e tive alguns patrocínios na época. Mas deixei de lado por me frustrar com as marcas que me patrocinava. Andar de skate sempre foi uma paixão, então ando sempre que posso. Sou personal trainer e concílio o skate com minha rotina. Largar jamais, ando porque amo e me faz bem. Enquanto o corpo aguentar, andarei.

Fabio Batata

Fabio Batata, frontside smithgrind. (Wester Fernando)

Nome: Fabio Costa
Apelido: Batata
Skate desde: 1989
Frequência média de skate por semana: 2 vezes
Breve histórico: Em 1989 eu e meu irmão ganhamos nossos primeiros skates, e aquela época víamos pela televisão Sergio Negão e Lincoln Ueda já apavorando no vert. Com o passar dos anos e com acesso ao vídeo Plan-B em 1992, tive a certeza que andaria até quando as pernas aguentassem. Já em 2018 continuamos nos embalos e manobrando sempre que dá. Agradeço a Deus e todas as influências que tive no skate: Keenan Milton, Kareem Campbel, Marcio Tarobinha, Erasmo Sucrilhos… a certeza que tenho que faria tudo de novo. #skate4ever.

Heriberto Fabio Makiak

Heriberto Fabio Makiak, frontside nosegrind. (Arquivo pessoal)

Nome: Heriberto Fabio Makiak
Apelido: Alemão
Idade: 36 anos
Skate desde:1994
Frequência: 1 ou 2 vezes por semana, sendo que geralmente nos finais de semana. Graduado em Administração e trabalho na função de Gerente de Recursos Humanos.
Breve Histórico: Comecei a andar de skate em Campo Mourão, cidade natal no interior do Paraná, onde morei até o ano de 2001. Neste mesmo ano, vim embora para Curitiba e acabei deixando o skate de lado em virtude dos estudos e também do trabalho. Apesar de sempre estar acompanhando o skate através das mídias, não tinha mais contato frequente com estes amigos. Em meados de 2010, após orientação médica para voltar a fazer exercícios, fui buscar o esporte que sempre gostei, o skate. Retomei contato com Glauber Hamann, amigo de infância de Campo Mourão, que continuava andando de skate e que também estava morando em Curitiba. Peguei o skate que estava guardado, voltei a andar, e desde então não parei mais. Hoje valorizo e tenho muita satisfação em fazer parte desta Crew.

Peterson Caetano Alves

Peterson Caetano Alves, backside tailslide. (Arquivo pessoal)

Nome: Peterson Caetano Alves
Apelido: Pet
Idade: 40 anos
Tempo de skate: 28 anos
Frequência: 2 a 3 vezes na semana
Breve histórico: Comecei a andar de skate em 1990, influenciado pelo nosso amigo old Itamar, que já andava há um bom tempo… Depois disso, conheci o Alessandro do Vale no colégio. Foi nesse tempo que conheci todos os caras que eram meus ídolos e hoje são meus amigos. O skate tem dessas coisas. E hoje, quando a gente se encontra e sobe em cima do skate, o tempo parece que para e você volta a ter 13, 14 anos!

Hugo Ponchio

Hugo Ponchio. (Arquivo pessoal)

Nome: Hugo Ponchio
Apelido: Rato
Idade: 40 anos
Skate desde: 1990
Frequência média de skate por semana: 2 vezes
Breve histórico: Skate desde 1990, sempre na rua. Participei de vários circuitos amadores na região de Balneário Camboriú, SC. Profissionalização em 2000, morei na Europa durante quatro anos. No ano de 2006 fui morar em Curitiba, desde então sempre no rolê com os olds, uma família que o skate tratou de unir.

Julio Japa

Julio Japa, frontside nosebluntslide em 1993. (Ivan Shupikov)

Nome: Julio Kondo
Apelido: Japa
Idade: 42
Skate desde: 1985
Frequência no skate: 1 ou 2 por semana
Breve histórico: Fui atleta profissional da Maha Skates no início dos anos 90, a melhor época. Hoje ando só nos finais de semana, e os melhores rolês são com essa família que está nesse vídeo. Isso que chamo de real skate; andamos porque amamos o skate e sempre vai ser assim, pelo menos pra nós “old dirty skaters”!

Murilo Linhares

Murilo Linhares no extinto Drop Dead Skatepark. (Arquivo pessoal)

Nome:  Murilo Linhares
Apelido: Mura
Idade: 37
Skate desde: 92
Frequência de skate: Diante de todos os afazeres da vida, procuramos manter o skate quinzenalmente nos pés.
Breve histórico: Sou empresário, dono da DM120 Impressão Digital (Ticcolor), e skatista por criação. Apesar de não trabalhar diretamente com o skate, já ajudamos e demos mais suporte para que o skate aconteça muito mais do que várias marcas do mercado. Os Old Dirty Skaters são amigos de longos anos que se tornaram família. A idade trouxe o skate novamente, entre rolês no estacionamento, na Praça CWB, Drop Dead Skatepark e tantos outros lugares. E claro, bares, entre Heinekens e Xibecas, a família continua junto e só se fortalece. Obrigado, irmãos.

Marcelo Marreco

Marcelo Marreco. (Jr Lemos)

Nome: Marcelo Gomes
Apelido: Marreco
Idade: 41
Skate desde: 1989
Frequência média de skate por semana: 3 vezes, sendo duas delas nos finais de semana
Breve histórico: Hoje sou proprietário da marca Posible – Criada por Skatistas, que está no mercado há oito anos. Meu foco principal é meu trabalho em cima disso.
Quero andar de skate até onde as minhas pernas aguentarem, independente de minha idade, hoje meus rolês são na maioria das vezes junto com meus amigos Ol’Dirty Skaters, onde somos uma família unida, um puxando o outro pra sessão e aos poucos as coisas foram acontecendo e começamos a filmar as sessões e o pessoal começou levar a sério os rolês aos finais de semana e começamos a captar imagens. O Glauber foi o maior responsável para que tudo isso acontecesse e começou a botar isso em prática, separando as imagens e avisando o pessoal que iria planejar um vídeo que acabou se chamando ” 90s Classics – Jovens há bastante tempo “. Não estamos preocupados com as dificuldades das manobras e nem com o que o pessoal vai achar ou pensar, estamos fazendo o que gostamos e isso que importa pra nós mesmos.

Veja também

Collab Tribo Skate John Roger: A chama na cabeça

411VM no Spotify

Skate Total Urbe terá dez etapas em 2018

O primeiro Emoji de skatistas

Corinthians quer construir pista de skate