ONG Social Skate aumenta cursos para crianças de Poá

31 de maio de 2019 ● POR

A criançada de Calmon Viana, bairro de Poá, no extremo Leste de São Paulo, ganhou mais opções de cultura, esporte e diversão.

A ONG Social Skate, no último sábado, 25, lançou mais dois projetos para abrilhantar ainda mais os trabalhos já desenvolvidos com os jovens.

As aulas acontecem de segunda a sexta, das 9 às 11h, no período da manhã, e das 14 às 16h, no período da tarde.

Por meio de lei de incentivo ao Esporte do Estado de São Paulo e novos patrocinadores, a ONG Social Skate colocou em prática os projetos “Manobra do Bem II” e, pelo FUNCAD, o “Manobra do Bem Esporte, Movimento e Arte”.

Os projeto tiveram a presença de toda a comunidade e dos skatistas profissionais, Denis Silva, Fábio Cristiano e Felipe Foguinho, além de artistas locais.

O dia foi de muita festa e de comemoração para o ativista social Sandro Testinha, que há 11 anos se dedica ao trabalho e hoje consegue definitivamente perceber que a educação e o esporte são os caminhos para solucionar diversos problemas sociais.

“Estou muito feliz e satisfeito de chegar neste momento com um leque de oficinas de forma gratuita para atender a comunidade de Calmon Viana, aqui em Poá. Eu gostaria que trabalhos como este pudessem existir em várias outras comunidades para atender mais crianças, prevenindo elas das armadilhas da vida, como as drogas e o crime. A gente acredita cegamente que o esporte e a educação são os remédios para curar este país”, relatou Sandro Testinha.

O Projeto Manobra do Bem II, uma reedição dos trabalhos já desenvolvidos com o skate pela ONG, conta com total patrocínio da Nike Social Community Impact e o slogan “Feito pra Jogar”. A Instituição também está inserida na Lei de Incentivo ao Esporte do Estado de São Paulo.

Já o “Manobra do Bem Esporte, Movimento e Arte”, tem como principal patrocinador a empresa EDP Brasil, apoio do Instituto EDP, com aportes do FUMCAD (Fundo Municipal da Criança e do Adolescente) de Poá. Um trabalho realizado em parceria com o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente- CDMCA de Poá.

Por meio desses dois projetos, que hoje ocupam os dois espaços utilizados para as atividades (quadra coberta e quadra descoberta), cerca de 150 alunos, de seis aos 18 anos continuarão sendo atendidos gratuitamente com novos equipamentos, lanches, palestras disciplinares, acompanhamento escolar e familiar e aulas de skate.

As novas grades ainda contam com outras modalidades, como ballet, circo, dança, teatro, futsal e educação física. Outra novidade na grade da ONG contempla visitas nas principais pistas de skate de São Paulo. A primeira será no Parque São Jorge, sede social do Corinthians, que ganhou uma pista de skate.

“Passar o dia com o Testinha, no lançamento desses projetos e observar que a união da galera pode transformar uma comunidade inteira por meio do esporte ou qualquer outra arte foi muito agregador para os meus valores. O trabalho deles é muito transformador. Mexeu comigo e me motivou a tentar me envolver mais com este projeto. Eles são especiais. Espero que haja mais pessoas seguindo este exemplo de transformar a vida das pessoas para melhor”, declarou Felipe Caltabiano, ou “Foguinho”, skatista profissional.

“A ONG Social Skate, depois de tanto tempo usando o skate como ferramenta de inclusão social, hoje expande o trabalho envolvendo outras oficinas como circo, dança, teatro entre outras atividades. Um trabalho que vem se consolidando e atraindo pessoas com vontade de ajudar, coisa muito difícil de se conquistar no mundo atual: a confiança das pessoas. Todos os envolvidos neste trabalho estão de parabéns”, revelou o skatista profissional Fábio Cristiano.

“Agradeço o privilégio de estar presente e dividir sorrisos e alegrias com toda aquela galera. Observei que a ONG cresceu e agregou com outras atividades o poder de transformar vidas. Isso me deixou muito feliz. Agora, eles podem agregar muito mais pessoas, além do skate. Estão quebrando as barreiras de resgate do ser humano, eu vejo que estamos em uma era de oportunidades para as crianças e peço para que elas aproveitem essa oportunidade de ter alguém como o Sandro e a Leila, da ONG Social Skate, engajados nesta missão”, finalizou o skatista profissional Denis Silva.

“Os trabalhos para 2019 vão manter a excelência que a ONG Social Skate sempre aplicou em seu método de ensino, usando do skate como uma ferramenta de inclusão social e, agora, com novas oficinas, inserindo valores de cidadania aos jovens e crianças para atingir a formação de um ser humano cada vez melhor”, esclareceu a pedagoga da ONG Leila Vieira.