Pamela Rosa vence Oi STU Open no Rio

18 de novembro de 2019 ● POR Divulgação

O skate brasileiro iniciou a segunda janela da corrida olímpica com um total de oito finalistas e três pódios para o Street no Oi STU Open, neste domingo (17), na praça Duó, no Rio de Janeiro.

No feminino, teve dobradinha com Pamela Rosa campeã e Rayssa Leal na segunda colocação. No masculino, Lucas Rabelo ficou com a terceira posição.

Ainda no Street, Gabriela Mazetto (5ª), Virginia Fortes Águas (6ª) e Kelvin Hoefler (8º) também representaram o skate nacional.

No Park, Dora Varella (7ª) e Pedro Barros (7º) entraram em ação pelo Brasil.

“Graças a Deus consegui terminar em primeiro lugar e a Rayssa ficou na segunda colocação. Estou muito feliz por vencer aqui no Rio de Janeiro”, comemora Pamela Rosa.

“Andar no Brasil é sempre aquela vibe mais legal. Todo mundo apoia, todo mundo brincando e se divertindo. Andar no país que você nasceu é a melhor coisa na vida. (Andar com as minhas amigas) é melhor ainda, porque a gente sempre se diverte, a gente brinca e daí vão fluindo as manobras”, completa Rayssa Leal.

Com o terceiro lugar, a japonesa Aori Nishimura completou o pódio do Street feminino. No masculino, o japonês Sora Shirai e o norte-americano Jake Ilardi ficaram com a primeira e a segunda posição.

“É uma emoção imensa. Estou muito feliz por poder representar o Brasil no Brasil, por poder estar andando de skate com as minhas inspirações. Me machuquei a um tempo atrás, fiquei seis semanas sem poder andar de skate. Não sabia se eu poderia estar aqui andando de skate hoje. Graças a Deus deu tudo certo. É incrível a sensação de poder andar de skate e além do mais fazer pódio com as pessoas que são minha inspiração em um evento desse”, comemora Lucas Rabelo, que garantiu a terceria colocação na quinta e última tentativa de manobra.

Mantendo a escrita das competições em solo brasileiro, o público lotou as arquibancadas da praça Duó, na Barra da Tijuca, para empurrar os brasileiros ao longo das quatro finais que aconteceram neste domingo (17).

“Eu tinha passado em oitava para a final. Então dá aquele nervoso a mais. Sempre tento pensar eu fazendo a minha linha antes de começar e ar. Você escuta a galera gritando e dá aquela energia, uma vontade a mais de andar de skate e vou com tudo, com três vezes mais vontade do que eu estava nos treinos”, completa Dora Varella.

No Park feminino, Misugu Okamoto (1ª) e Sakura Yosozumi (2ª) fizeram dobradinha para o Japão. A britânica Sky Brown completou o pódio na terceira posição.

No masculino, três skatistas norte-americanos subiram no pódio: Cory Juneau (1º), Jagger Eaton (2º) e Ben Hatchell (3º).

Homologada pela World Skate como competição que conta pontos na luta por vagas para Tóquio 2020, o Oi STU Open valeu como evento 5 estrelas para o Street e como Pro Tour para o Park.

Comissão técnica da CBSk

Integram a comissão técnica da CBSk os consultores técnicos Edgard Vovô (Park) e Rogério Mancha (Street), o coordenador técnico Julio Detefon, os fisioterapeutas Alison Paz e Carlos Barreto, o médico Maurício Zenaide e a psicóloga Juliane Fechio.

Brasil nas Olimpíadas

A partir dos critérios estabelecidos para as Olimpíadas, o Brasil poderá contar com até 12 atletas no total em Tóquio – três no Park feminino, três no Park masculino, três no Street feminino e três no Street masculino.

A participação desse número limite dependerá do desempenho dos brasileiros nas duas janelas classificatórias. A primeira delas encerrou com as disputas dos mundiais de Park e Street em setembro de 2019, em São Paulo. O segundo ciclo acontece de 1º de outubro de 2019 a 31 de maio de 2020.

Os resultados obtidos nesse período formarão o chamado ranking olímpico, composto pelas duas melhores notas da primeira janela e pelas cinco melhores notas da segunda janela. O ranking leva em consideração o desempenho do atleta nos campeonatos mundiais, pro tours, 5 estrelas, continentais e nacionais, sempre que chancelados pela World Skate.